Diamantes – os melhores amigos

Posted by on jan 12, 2012 in Galery | 4 comments

Inaugurando os posts sobre gemas que nossa grande amiga e colaboradora, Karyna Sena nos ajudará a fazer, nada melhor do que começar em grande estilo, escrevendo sobre a mais desejada e comentada gema do mundo – o DIAMANTE.

“Diamonds are girls’ best friend” (Diamantes são os melhores amigos das garotas)…. Eternizada por Marylin Monroe no filme “Os homens preferem as loiras” de 1953, a afirmação demonstra a forte ligação entre as mulheres e essa gema.

Marylin Monroe e seus inseparáveis diamantes

A palavra Diamante provém do grego “adamas” que quer dizer “inconquistável, indomável”. O primeiro Diamante foi descoberto na Índia há mais de três mil anos e até o ano de 1800, eles eram reservados apenas aos reis, às rainhas e à nobreza. Com a descoberta de Diamantes na África do Sul, houve um aumento da oferta dessas gemas para atender à demanda pela crescente burguesia européia. A tradição de presentear com um Diamante no anel de noivado surgiu com o Arquiduque Maximiliano Da Áustria que presenteou, sua amada, Mary de Burgandy com um anel de Diamantes.

diamantes

Ao contrário do que muitos pensam, os Diamantes não são apenas brancos/incolores; na verdade, a maioria tem uma pequena  quantidade de cor, geralmente, amarelo claro ou marrom. Existem ainda os Diamantes “fancy” (coloridos) que possuem uma cor bem definida além dos amarelados e amarronzados considerados padrão.

diamante vermelho

Eles podem ser pretos, amarelos e cinzas, e mais raramente laranjas, vermelhos, rosas, lilases, azuis ou verdes. Quando se trata de Diamantes coloridos, quanto maior a intensidade e a pureza de cor, maior é o valor.

diamante rosa

O valor de um Diamante é definido a partir da combinação única de 4 fatores: cor, lapidação, pureza e peso em quilates, ou os 4 Cs : Color, Cut, Clarity e Carat.
1.    Cor (Color): quanto menor a presença de cor, melhor. Os Diamantes são classificados quanto a cor de D (incolor) a Z (amarelo claro ou marrom).
2.     Lapidação (Cut): uma boa lapidação mostrará toda a beleza da gema.  A lapidação brilhante (redonda) é a mais popular. Formatos diferentes do brilhante são considerados “fancy”, (fantasia). A saber: coração, oval, pera, baguete, princesa, etc.
3.    Pureza (Clarity): poucas coisas na natureza são absolutamente perfeitas. Os diamantes, não fogem a essa regra e normalmente apresentam imperfeições naturais internas (inclusões). Quanto menos inclusões visíveis existirem no Diamante, melhor.
4.    Peso em quilates (Carat): vários produtos são vendidos a peso, por quilo, tonelada,  onça, libras… O peso dos Diamantes é apresentado em quilates métricos, abreviados por “cts”. Um quilate representa 1/5 (um quinto do grama) ou 0,2gr. Um quilate é dividido em 100 pontos , que se abrevia em pt. Evidentemente, quanto maior o peso em cts da gema, maior o seu valor.

diamante amarelo

As principais minas produzindo atualmente se localizam na Índia, África, Rússia, Austrália, Canadá e Brasil.  A  mina Argole na Austrália  é famosa pela produção dos raros Diamantes  cor de Rosa. A Índia lapida 90% da produção mundial de Diamantes pequenos usados na joalheria.
No Brasil a produção se concentra em Minas Gerais (Diamantina e no Vale do Jequitinhonha), na Bahia (Chapada Diamantina), Goiás, Roraima, Pará e no Mato Grosso (Juína).

Alguns Diamantes famosos são:
1.    Estrela da África ou Cullinan I: Incolor com 530,20cts é o maior Diamante já encontrado pelo homem, está na coroa do Rei Eduardo VII, na Torre de Londres.

diamante Culliman

2.    Koh-i-Noor: Incolor com 108,92cts. Originalmente pertenceu a um marajá na Índia. Em 1739 foi adquirido pelo xá da Pérsia (Irã) que dominou a montanha de luz (Koh-i-Noor). Ele foi relapidado durante o reinado da rainha Vitória e está entre as jóias da Coroa britânica .

diamante Koh-i-Noor

3.    Dresden: Verde intenso com 41cts: provavelmente de origem indiana. Por volta de 1700, Augusto o Forte, Duque da Saxônia se apoderou dele. Encontra-se no Hall  Verde, em Dresden, na Alemanha, de onde vêm o nome.

diamante Dresden

4.    Hope: Azul com 45.52cts. Foi adquirido em 1830 pelo banqueiro inglês H. T. Hope, Mudou de mãos muitas vezes, mas desde 1958 encontra-se no Smithsonian Institution.

diamante Hope

5.    Taylor-Burton: Incolor com 69,42 cts. Este diamante em forma de pera foi encontrado na Mina Premier em Transvaal, África do Sul, em 1966. Richard Burton comprou a pedra para Elizabeth Taylor por US$1,1milhões, renomeando-o para “Taylor-Burton”. Ainda em vida, Liz vendeu a gema para construir um hospital em Botswana.

diamante Taylor-Burton

Não importa, se grande, ou pequeno, famoso ou desconhecido, rosa, azul ou incolor; o que todas as mulheres sonham, é em ter lindas jóias com Diamantes para iluminá-las…

Richard Burton e Elizabeth Taylor

Leave a Comment